DIY Estampa feita com carimbo de maçã

A dica de DIY é legal para dar uma cara mais fun para peças sem graça, ou pra disfarçar manchinas de água sanitária que as vezes estragam nossas roupas. Mas com certeza vale mais pela diversão de fazer do que por qualquer outra coisa :)

A ideia eu tirei há muitos anos desse livro de artesanato que apareceu na foto anterior, que eu herdei da minha vó Zélia. Eu tenho um amor tão grande por esse livro que acho que sei ele de cor.

É um livro muito útil, vou adaptar algumas ideias dele para futuros posts. Lá eles sugerem fazer o carimbo com batata, mas hoje só tinha maçã aqui em casa, então iremos de carimbo de maçã mesmo.

Como fazer? Simples. Com muito cuidado, você corta a maçã, batata ou leguminosa de sua preferência no formato que vc quer. Esculpa (!) bonitinho e você terá o que eu batizei carinhosamente de iStamp (carimbinho de maçã).

Dica: formatos quadrados são mais fáceis. Acho que um robozinho deve ficar fofo, eu, porém, fiz um zigzag.

85bf04da1ba12a8842c87dbff23c55d4

O plano era fazer uma barra tribal pra calça, que foi cortada e transformada em uma bermudinha. Também fiz a versão “Coraçõezinhos pixelados na neve”:

Sinta-se livre para viajar!

Ideia DIY número dois, com a mesma peça:  tirar os bolsos da calça e transformar em uma mini bolsinha. Eu comecei a fazer isso há uns anos porque algumas calças baratinhas que eu comprava vinham com os bolsos enfeitados e costurados com linha prateada – um horror – então eu arrancava eles fora e guardava, porque, vai que né? Para aproveitá-los comecei a fazer bolsinhas porta-treco.

Semana que vem tem mais!

Beijos!

diy porta bijuteria

DIY Porta bijú com quadro, roupa velha e pote de esmalte

DIY novinho em folha!

Amigos, no ano passado fiz uma promessa de que, se algo acontecesse, eu passaria o 2012 inteiro usando só esmaltes azuis. Abri uma pequena exceção pra cores neutras e dourados, mas só.

Já que meu pedido se realizou, eu tenho seguido a promessa à risca desde janeiro, e nessa acabei perdendo vários potes de esmalte, que endureceram, secaram, se foram…

Eu queria fazer algo pra aproveitar os recipientes, mas algo que REALMENTE fosse útil pra mim, porque tralha acumulada em casa traz energia negativa – eu acho. Então acabei inventando um porta bijú e usando ele pra pendurar colares e afins. Virou um projeto DIY que hoje eu ensino pra vocês aqui :)

Foi fácil e super divertido fazer e eu não gastei um centavo.
E ficou uma gracinha… vejam se concordam.

Primeiro eu peguei um quadro que tava sem uso porque  a moldura arranhou e porque eu enjoei dele. Forrei tranquilamente com fita dupla-face, “moldando”o tecido nos contornos do quadro. O tecido que eu escolhi foi uma antiga blusa de chita estampada, que é fácil pra modelar e tem imagens lindas (recomendo).

Depois de usar metade da blusa pra forrar o quadro, rasguei tiras pra forrar os potinhos de esmalte.

Vejam abaixo o passo a passo!

diy porta bijuteria pendurar colares com pote de esmalte velho

Dica importante: Na hora de colar os potes, não economize na cola quente, e segure bem firme contra a moldura pra garantir que fixe bem.

Eu amei o resultado! Vou fazer outros, usando tecidos diferentes em uma mesma peça, que eu acho que vai ser muito legal…

Espero que tenham gostado deste porta bijú. Pra quem, assim como eu, é fascinado pelos poderes da cola quente, olha só este diy que fiz com um tamanco velho que tinha no armário! Também tem este super legal ensinando a fazer uma choker de renda lindona!

ps. o esmalte que eu estou usando nas fotos é o carbono (colorama) + azul hortência (risquè).

glauco rodrigues obras arte brasileira

Glauco Rodrigues, mestre da arte do que estiver à mão

Vou tentar explicar sem muita enrolação minhas percepções sobre a mostra “O Universo Gráfico de Glauco Rodrigues” que tá na Caixa Cultural até dia 21 de agosto. Longe de mim tentar bancar a crítica de arte. Não tenho formação em arte e muito menos cacife para fazer uma critica à obra de um dos artistas mais importantes da arte moderna brasileira. Mas a arte gráfica faz parte também do meu universo, é a minha profissão e algo que eu gosto pra caramba. Então vamos lá.

O malandro

O malandro

A exposição em si não tinha frescuras nem invenções de moda. Ponto pra eles. O foco eram as 100 obras originais do Glauco Rodrigues expostas ali, que incluiam pinturas, ilustrações, litografias, linoleogravuras, litografias, posteres… o que mais esse cara fez? Já que você perguntou, ele fez cenografia, capas de livros, revistas e discos, vinhetas para televisão, murais, entre muitas outras coisas.

Essencialmente, Glauco Rodrigues foi mestre das artes gráficas. Sob o ponto de vista poético, achei sensacional a definição que Luis Fernando Verissimo fez do ofício do amigo (texto no finalzinho do post). Na teoria, as artes gráficas englobam técnicas artísticas que envolvem impressão e reprodução das peças. Em muitos casos, como em alguns trabalhos do próprio Glauco, as imagens vem acompanhadas de textos, seja para estampar a capa de um livro, o conteúdo de uma matéria, um poster de filme. Hoje em dia, como não poderia ser diferente, e eu acho que eu posso afirmar isto com segurança, quase toda arte gráfica produzida no mundo é criada digitalmente. O famosíssimo e banalizadíssimo Design Gráfico.leia mais

Grace Kelly – Exposição no Museu de Arte Brasileira

Quase perdi a exposição que o Museu de Arte Brasileira (o famoso museu da FAAP) fez contando a vida da Grace Kelly.

Que coisa linda. De repente eu achava que estava dentro de um filme, depois eu achava que estava em um parque da Disney.

Porque ela mereceu uma exposição tão ryca? A guerreira trabalhou desde os 17 anos mesmo tendo nascido em berço de ouro. A vitoriosa se consagrou uma das maiores atrizes de todos os tempos, inclusive ganhou um Oscar. Aí então, como se tudo isso não fosse suficiente, Grace Kelly foi Princesa, daquelas com coroa e tudo. Princesa de Mônaco, caso ser princesa não baste para vocês.7a789918130b155fc201509e6eec8422

Tirei uma tarde inteira para mergulhar na vida de uma mulher que eu desconhecia totalmente. Sorte a minha! Pensei que a exposição ia ser só um lookbook da mulher, mas eu estava bem enganada, gente. Para começar os arquivos continham fotos, recortes de jornal e outros souvenirs com os quais a atriz fazia scrapbooking quando criança. Cresceu e virou uma mulher linda. Linda mesmo, impecável, perfeitinha. Durante toda a exposição esse fato chamou muito a atenção.

Bom, e lá estavam as primeiras fotos como modelo em Nova York e as cartas enviadas pela família, incluindo um bilhete dos pais desejando boa sorte na estreia de sua primeira peça de teatro. Esse bilhete especificamente me deu um puta nó na garganta. Mas eu fui forte e segui em frente.leia mais

Steven Klein – Delírio fashion com gosto de sangue

Por alguma razão bizarra, nós seres humanos temos um fascínio por imagens perturbadoras. Desde as mais indigestas e violentas, até as do tipo dessa aí em baixo que, não tem nada de mais tirando o fato de ser o snapshot de um pesadelo.

8-wb-steven-klein_sk_nursesnoret_8x10_3001

Steven Klein é o fotógrafo de moda mestre em retratar cenas desse tipo. Um freakshow genial carregado de tensão emocional, violência (sádica), do erotismo (blasè) e do humor (cínico). E é por ser assim que ele virou um it photographer (inventei) e todas chora para fazer uma sessão de fotos com ele que dê o que falar. Engraçado, à primeira vista pode parecer incompatível, mas na verdade estamos cansados de saber que a moda high profile é comprometida com o belo mas não esconde uma paixão ardente pelo esquisito. Esquisitices perturbadoras tem tudo a ver com luxo, dinheiro, poder, sexo. E moda é isso.leia mais