The Handmaid's Tale poster

The Handmaid’s Tale – Dica de série (a melhor!!)

Eu tava resistente de começar a assistir série nova nos últimos tempos, mas li tanto sobre The Handmaid’s Tale (criada por Bruce Miller , produzido pelo Hulu) que cedi à pressão. Todo mundo falava a mesma coisa: “é muito relevante no contexto que vivemos hoje em dia” ou “daqui a pouco a gente vai estar assim” etc #MEDO

Além de todo o sucesso de público, a obra arrematou tudo que é pêmio possível e imaginável, entre ele so Emmy de melhor série de Drama e de Melhor Atriz pra Elizabeth Moss (que eu já amava). O sucesso é estrondoso, e minha expectativa era grande. E não me decepcionei nem um tiquinho 💖

Resumindo MUITO, trata-se de uma distopia (um contexto imaginário no futuro próximo onde reina a opressão e angústia, mas usando como base a nossa realidade atual) em que os Estados Unidos sofrem um golpe de estado por grupos conservadores que passa a estabelecer regras rígidas em relação ao comportamento principalmente das mulheres. Tudo é controlado e “punido” na base da violência e da opressão máxima. E as consequências você pode imaginar, né?

Nolite te Bastardes Carborundorum

June, a personagem da Elizabeth Moss é a protagonista, forçada a se juntar a um grupo de servas (handmaids, em inglês) que são obrigadas não só a se submeter a um regime de escravidão pelos seus proprietários, mas também a procriar. Esse ponto é crucial no desenrolar da história, e só assistindo mesmo pra entender.

Não estou capacitada pra analisar a fundo a premissa da série e apontar as semelhanças com nosso contexto socio-cultural e econômico atuais, mas como mulher, feminista, milenial, e sobretudo, um, ser-humano vivo no planeta Terra em 2017, consigo sentir profundamente a mensagem. E só me resta recomendar muito, muito, muitoooo a todos que assitam à série, debatam, indiquem a todos os conhecidos… E juntos talvez consigamos freiar essa onda assustadora de conservadorismo radical e ignorante.

Tecnicamente, também sem querer pagar de entendedora do assunto, a fotografia é espetacular. As cenas são um deleite de se ver, e cada detalhe da disposição dos elementos à seleção da paleta de cores foi definido com um cuidado extremo. E é engraçado como não existe nenhum tipo de apelo forçado para provocar mal-estar no espectador com cenas de violência gráfica ou conotação sexual, mesmo se tratando de uma história tão forte.

A série The Handmaid’s Tale é baseada em um livro homônimo da autora canadense Margaret Atwood publicado em 1985 (!!) A segunda temporada do seriado no Hulu já foi confirmada. SÓ VEM.

  

Entenda o que é o feminismo de forma simplificada e objetiva neste post aqui. E para quem gosta de filmes feministas de terror, este aqui é um dos meus preferidos.

Quero muito saber o que vocês achou! Deixa um comentário aqui embaixo ;)

Se preferir, comente por aqui: